Nosso Blog

RETROSPECTIVA DA PANDEMIA

Dicas de Gestão Foodservice | 29 mar, 2021
RETROSPECTIVA DA PANDEMIA

12 momentos do Food Service em São Paulo durante a quarentena

 

No mês de março, completamos um ano em pandemia. Todos os serviços considerados “não essenciais” tiveram suas operações interrompidas e o setor de food service foi um dos mais afetados.

 

Nesse post, vamos relembrar 12 momentos que os serviços de alimentação fora do lar vivenciaram no último ano e a perspectiva do setor para o futuro pós-pandemia.

 

Mês 1 - Março de 2020

 

Na terça-feira, 24 de março de 2020, foi decretado o primeiro lockdown do estado de São Paulo. Uma das determinações foi o fechamento dos bares e restaurantes durante um período mínimo de 15 dias.

 

Como alternativa à restrição de funcionamento, foi autorizada a operação via delivery e/ou drive thru, com o objetivo de que fosse possível manter parte da receita e preservar o emprego dos colaboradores.

 

 

Padarias, mercados e demais estabelecimentos essenciais que oferecessem alimentação in loco também foram proibidos de continuar servindo refeições prontas no local. Ficou permitida apenas a retirada e o uso de serviços de entrega.

 

Para agilizar os processos de aquisição de alimentos, produtos de limpeza e higiene, insumos descartáveis e equipamentos de segurança, aqui na Monte Carlo Alimentos demos destaque para nossa ferramenta de compra B2B.

 

Diretamente pelo site, nossos operadores se cadastram e podem fazer cotações e efetuar seus pedidos 24h por dia, com prazo de entrega agilizado para que seu restaurante nunca fique desabastecido. 

 

Para acessar nosso ambiente de compras online, clique aqui!

Mês 2 - Abril de 2020

 

No dia 8 de abril, foi anunciada a ampliação da quarentena por mais 15 dias em todo estado. Com isso, a nova data de possível retomada passou a ser no dia 22 do mesmo mês.

 

Nesse período, foi divulgado um estudo realizado pela Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) que apontava o fechamento de 40% dos estabelecimentos do setor após a crise do Coronavírus.

 

Manifestantes protestam contra as medidas aplicadas ao setor de food service.


 

Em outra pesquisa divulgada pela ANR (Associação Nacional de Restaurantes), 76,11% dos bares e restaurantes já haviam demitido parte de seus colaboradores. A estimativa era de cerca de 1 milhão de desligamentos durante o período de crise.

 

Mês 3 - Maio de 2020

 

Em maio de 2020, o então Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, anunciou novas linhas de crédito fácil para os setores de turismo e food service.

 

Com juros de menos de 1% ao mês e até 12 meses de carência para pagar, o empréstimo fácil se tornou uma medida para combater a crise nos estabelecimentos de alimentação fora do lar.

 

No final do mês, foi anunciado pelo governo paulista o Plano São Paulo. Desde então, esse foi o modelo para classificar a reabertura de setores da economia durante a quarentena de enfrentamento ao Coronavírus. 

 

O Plano São Paulo dividiu o estado em 22 regiões e levou em conta cinco índices para permitir a flexibilização das medidas de contingência: número de casos de Covid-19, internações, mortes, taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensivas (UTIs) e a quantidade existente de leitos para cada 100 mil habitantes.

 

Mês 4 - Junho de 2020

 

No dia 29 de junho foi autorizada a reabertura de bares e restaurantes no estado de São Paulo. 

 

Os estabelecimentos, no entanto, precisaram se adaptar ao "Novo Normal". Entre as medidas anunciadas nessa primeira fase, houve a redução do funcionamento para até 6 horas por dia e a limitação de 40% da capacidade total de clientes.

 

Outras regras como higienização, espaçamento entre as mesas e uso de equipamentos de proteção também foram exigidas (e fiscalizadas) neste primeiro momento.

 

VALE A PENA VER DE NOVO:

 

No mês de junho, a Monte Carlo se juntou à corrente de solidariedade e doou 2% do valor das compras feitas no período de 01 a 15/06 para o programa Médicos Sem Fronteiras. Você pode conferir os detalhes dessa parceria clicando aqui!

 

Mês 5 - Julho de 2020

 

Durante a terceira etapa do plano de reabertura gradual, que incluiu a volta de bares e restaurantes, o município de São Paulo bateu o recorde de casos confirmados do novo Coronavírus até aquele momento. 

 

 

Com a limitação do período e capacidade de funcionamento, a retomada no estado foi fraca e teve poucos adeptos. 

 

Outro problema foi o horário de funcionamento: das 11h às 17h. Muitos donos de bares questionaram essa decisão, mas a medida foi mantida em todo o estado.

 

Mês 6 - Agosto de 2020

 

Varanda do A Figueira Rubaiyat - Fonte: Ligia Skowronski/Veja SP


 

No mês de agosto, houve uma boa notícia para os operadores food service: a ampliação do horário e período de funcionamento para bares e restaurantes.

 

Ao entrar na Fase Amarela do Plano São Paulo, os estabelecimentos puderam manter suas portas abertas por até 8h consecutivas, respeitando o horário limite de até às 22h.

 

Mês 7 - Setembro de 2020

 

No mês de setembro, casas noturnas e salões de festas tiveram autorização para funcionar como bares e/ou restaurantes.

 

Nesse mês, a Abrasel enviou um ofício ao Governo de São Paulo pedindo um aumento nas medidas de flexibilização para a reabertura dos bares e restaurantes do estado. 

 

A entidade solicitou a ampliação do horário de permanência dos clientes para até meia-noite, com os estabelecimentos podendo ficar abertos até às 23h, a permissão para lotação de 60% da capacidade dos espaços e a autorização para colocar mesas nas calçadas.

 

No entanto, recebeu uma negativa do governo do Estado que reiterou a importância de respeitar as diretrizes do Plano São Paulo. A ampliação, no caso, só seria permitida na fase verde.

 

Mês 8 - Outubro de 2020

 

 

Com o avanço da capital paulista, Grande São Paulo e mais cinco regiões do estado para a Fase Verde do Plano São Paulo, o Governador João Dória autorizou a flexibilização de algumas medidas para os serviços “não essenciais”.

 

Entre elas, a ampliação do período de funcionamento de 8 para 12 horas consecutivas, assim como o horário limite que passou a ser até às 23h para quem já estivesse no local.

 

Mais uma vantagem foi a ampliação de 40% para 60% da capacidade total de funcionamento do estabelecimento.

 

Mês 9 - Novembro de 2020

 

Com o aumento nos casos da Covid-19, o estado de São Paulo regrediu novamente para a Fase Amarela. Com isso, bares e restaurantes voltaram a operar com apenas 40% da capacidade total.

 

O horário e período de funcionamento também foi modificado: de 12 para 10 horas/dia até às 22h da noite. Os eventos com pessoas em pé também voltaram a ser proibidos em todo o estado.

 

Eventos como a Black Friday em restaurantes também precisaram inovar para conquistar o público e manter as vendas, mesmo durante a pandemia.

 

Mês 10 - Dezembro de 2020

 

O final de 2020 foi muito diferente do esperado. Além do aumento de casos da Covid-19, o governo estadual precisou limitar novamente a atuação do setor de food service.

 

Às vésperas das festas de final de ano, bares e restaurantes perderam mais 2 horas de funcionamento, tendo que fechar as portas até às 22h. A comercialização de bebidas alcoólicas também ficou restrita ao mesmo horário, sendo proibida até mesmo em lojas e supermercados.

 

Apesar das restrições, os restaurantes puderam servir as ceias de Natal e Ano Novo presencialmente, respeitando as restrições de horário e capacidade total.

 

No entanto, foi decretado que nos dias 25 e 27 de dezembro, assim como 1º e 3 de janeiro, os estabelecimentos deveriam fechar novamente como medida preventiva, causando grande impacto no faturamento de final de ano dos bares e restaurantes de São Paulo.

 

Para quem optou em ficar em casa, a Monte Carlo criou uma lista com 11 opções deliciosas para servir na Ceia de Natal, confira! 

 

Mês 11 - Janeiro de 2021

 

Ano novo, vida nova! (ou não). Mais uma vez, vimos o governo paulista regredir mais uma fase e o número de casos da Covid-19 aumentar. Na Fase Laranja, os estabelecimentos precisaram fechar às 20h e só poderiam reabrir após às 6h. 

 

Com o crescimento do delivery e novas tendências de mercado, surge o novo food service. Agora, não se limita ao consumo fora do lar, mas também abrange todos os serviços que oferecem o preparo e a entrega de alimentos.

 

Preparamos um conteúdo especial sobre o assunto, você confere na íntegra clicando aqui

 

Mês 12 - Fevereiro de 2021

 

Com o anúncio de novas medidas de contenção que incluem a restrição do horário de circulação das 23h às 5h em todo o estado, a operação de bares e restaurantes ficou ainda mais restrita.

 

A Abrasel se manifestou contra as políticas públicas do governo. Para Paulo Solmucci, presidente da entidade, a falta de clareza e planejamento dificultam que os estabelecimentos consigam manter as portas abertas.

 

Visando ajudar os parceiros prejudicados pela crise, a Monte Carlo lançou o Programa de Recuperação de Crédito.

Sem juros e multa, parcelamos o saldo devedor em até 12x no cartão e liberamos seu limite de crédito após análise.

Nosso canal exclusivo para negociações é o (11) 94149-4113


 

E o que acontece agora?

 

Em março de 2021, mês que completamos um ano de pandemia no Brasil, as perspectivas futuras estão tão incertas quanto no começo da crise.

 

São Paulo atingiu o maior recorde de casos, mortes, internações e ocupações de leito desde o início da pandemia, fazendo restringir a operação até mesmo dos serviços essenciais.

 

Com contaminações rápidas e vacinação lenta, o Governador de São Paulo, João Dória, finalmente anunciou um pacote de medidas econômicas para ajudar o estado a passar pelo pior momento da pandemia de Covid-19.

 

A instituição financeira Desenvolve SP, do governo estadual, terá uma linha de crédito de R$ 100 milhões para os serviços mais afetados, onde R$ 50 milhões serão destinados exclusivamente aos bares e restaurantes.

 

Além disso, anunciou a prorrogação da suspensão do corte do fornecimento de água e gás aos setores de comércio e serviços para 30 de abril.

 

Os estabelecimentos inadimplentes não terão os nomes negativados e suas dívidas poderão ser negociadas em até 12 parcelas sem multas ou juros.


 

A Monte Carlo Alimentos no combate à pandemia

 

Acreditamos na importância de cada vida, na operação dos negócios e na manutenção dos empregos do setor food service.

 

A gastronomia paulista é um patrimônio cultural, com estabelecimentos ricos e diversos que contam a história de toda a São Paulo.

 

Juntos, criaremos um novo capítulo na história da gastronomia. Levaremos o melhor de cada restaurante ao consumidor, oferecendo uma ótima experiência, produtos e atendimento, mesmo que à distância.

 

No futuro, esse será um marco transitório que fortalecerá a importância de 

preservar nossos estabelecimentos como ambientes de lazer, 

cultura, diversão e conexão entre pessoas.

 

Até lá, você pode ter acesso a todas as novidades, dicas e orientações para fortalecer o seu negócio diretamente com sua distribuidora: a Monte Carlo Alimentos!

 

Acompanhe nosso blog e siga-nos nas redes sociais! Em breve, teremos novidades imperdíveis para você.

Compartilhe esse conteúdo